Penúltima rodada da CEA define os classificados à próxima fase

Definidos os oito classificados para a próxima fase da Copa Entre Amigos – CEA 2018. Camarões, Eslovênia, Hong Kong, Itália, País de Gales, Nova Zelândia, Irlanda e Qatar será as seleções que buscarão o título este ano. A 12ª rodada garantiu a última equipe: os Asiáticos, que venceram os Italianos num embate de tirar o folego. Já os EUA novamente fez um papelão após perder por W.O por falta de atletas.

Também tivemos a prestação de um minuto de silêncio em todos os jogos, em homenagem ao falecimento de um ente querido dos atletas, Jefferson Astolfo e Cleyton Cordeiro (Magrão). A Comissão da CEA se solidariza com a dor dos jogadores e demais familiares.

Leitura disponível em 3,2,1…

Nova Zelândia (3) W.O (0) Estados Unidos

Abrindo a penúltima rodada da CEA, Nova Zelândia e Estados Unidos jogariam na quadra principal. A NZ vinha sedenta para atuar já que folgou na última jornada, enquanto que os Americanos iriam cumprir sua missão de encerrar o campeonato em busca da 1ª vitória. Porém, não ocorreu nem um e nem outro, pois novamente a seleção dos EUA protagonizou o papelão da rodada. Apenas três atletas (André goleiro, Alan e Sargi) estiveram presentes, número insuficiente para a disputada da partida, no qual teve que ser decretada a vitória por W.O aos Neozelandeses. Triunfo quase nada comemorado, já que ambos os jogadores acordaram para realizar um jogo que não aconteceu. Assim, a Nova Zelândia sobe para a 5ª colocação, com 21 pontos, enquanto que os EUA terminam sua participação de forma melancólica, na última posição com 5 tentos negativos.

Opinião: Simplesmente patético o que fizeram alguns atletas Americanos ao não virem para a partida e deixarem parte de seu elenco na mão. Não só neste duelo como em outros embates, o que explica a péssima campanha da seleção neste ano. De curiosidade é que, para não perder o entusiasmo do jogo, atletas da NZ e EUA + o juizão aproveitaram o tempo da partida para fazer um amistoso entre eles. Após a pelada, a maioria dos jogadores foi para a rede que divide as quadras para azucrinar Taborda que atuava pela equipe do Camarões. Valeu a pena!

País de Gales 5 x 11 Camarões

Se na quadra principal não tivemos embate, a quadra 2 reservou um interessante duelo entre País de Gales e Camarões, partida que prometia muitos gols. Entretanto, os cinco primeiro minutos foram de uma partida muito equilibrada, no qual as equipes tiveram poucos espaços para criarem. Mas aos 6 minutos a bola entrou, e foi dos pés do artilheiro Fernando, que abriu a contagem Camaronesa. Os Galeses não se intimidaram e segundos depois empataram o duelo com Wellington e viraram com Inho. Porém nós alertamos que seria uma partida de muitos gols e passados mais quatro minutos, foi à vez dos Africanos virarem o placar com a dupla Padilha e Fernando, fazendo 3 a 2.  Resultado que se ampliou antes do intervalo graças a Fernando, craque Camaronês que com mais dois tentos fechou a primeira etapa em 5 a 2.

No segundo tempo o País de Gales veio com a ideia fixa de marcar no campo de defesa o adversário e aproveitar-se de Marcelinho enfiado na ponta para surpreender os Camaroneses, mesmo correndo os riscos do contra golpe. A tática deu super certo, pois com dez minutos jogados, a diferença era de apenas um gol, já que Wellington e Marcelinho diminuíram a vantagem. Entretanto, a seleção de Camarões resolveu fazer o que mais sabe. Tabela com seu quarteto, no famoso ‘toco me voy’, aí… Não há equipe quem aguente. Quatro gols num intervalo de quatro minutos que fizeram a distância aumentar em cinco gols. Os Cinzas até marcaram mais um, mas com mais dois tentos relâmpagos dos Africanos, ambos de Taborda, o duelo terminou em 11 a 5. A vitória mantem a liderança de Camarões, agora com 28 pontos, deixando o País de Gales na 6ª posição com 19 tentos.

Opinião: Bom duelo de se assistir logo no início da manhã de sábado. Tá certo que foi a única partida a ser realizada, mas País de Gales e Camarões fizeram sim uma partida bem agradável. Os Galeses saem do confronto sabendo que precisam melhorar em alguns aspectos para a fase mata-mata, além de lamentar um suposto pênalti de Coxinha no atleta Wellington (não sei de nada), o que mudaria o panorama do duelo. Já os Africanos sabem que se atuarem tocando bem a bola e achando os espaços, será difícil de vencê-la. A seleção precisa apenas de um empate na última rodada, diante do Paraguai para garantir a primeira posição na classificação.

Ucrânia 3 x 13 Hong Kong

Ainda na quadra 2, Ucrânia realizava seu jogo do ano frente à boa equipe de Hong Kong. Os Amarelos teriam que vencer sua partida, torcer por tropeço do Qatar (que atuava na quadra ao lado) e ainda tentar parar Albano que vinha de uma fase estupenda. Não por acaso, a partida começou a mil por hora, onde em cinco minutos já tínhamos o placar de 1 a 1. Mas bastou os Asiáticos botar o craque Seco pra correr que… Desandou tudo. Dois tentos em um minuto (Albano e Daltinho, irmão do inigualável Coxinha), deixaram Hong Kong em vantagem. Os Ucranianos não desistiram e partiram para o abafa, entretanto a má pontaria e as defesas de Robson atrapalhavam as investidas da seleção. Para piorar, a dupla Albano e Cozzolino estavam em dia inspirado, no qual fizeram mais dois gols, sendo um de cada, fechando a primeira etapa em 5 a 1.

No segundo tempo, a Ucrânia esboçou uma reação, diminuindo o placar logo há dois minutos com Edu. Mas, como já havíamos falado no início da matéria, o dia era de Albano e Cozzolino: três tentos num intervalo de três minutos, que deixaram os Amarelos atordoados, principalmente o atleta Sérgio que tomou amarelo por falta dura e foi expulso minutos depois por puxão no adversário. Com um a menos, a Ucrânia não teve alternativa a não ser levar a partida até o seu limite e claro, não tomar mais gols, pois a equipe até conseguiu marcar, mas tomava outros quatro em seguida. Até Robson, arqueiro Asiático deixou o dele (para vocês terem uma ideia do nível que o duelo chegou). Faltando pouco para o apito final, o semblante de desânimo Ucraniano era evidente, e, percebendo isso, o juiz optou pelo encerramento da partida. Placar de 13 a 3. Triunfo deixa Hong Kong na 3ª posição, com 25 pontos e ainda almejando a liderança da CEA. Para Ucrânia a vaga não é mais possível, no qual a seleção ocupa o 9ª lugar com 9 tentos.

Opinião: Duelo que teve um bom início, pegado, jogado, com as equipes indo ao ataque em busca do resultado. Mas, conforme o desenrolar da partida, Hong Kong mostrou porque a seleção é cotada como uma das favoritas ao título deste ano. Seus contragolpes são praticamente mortais, principalmente nos pés de Albano, um dos destaques da equipe que ainda teve Fábio Cozzolino em grande dia, marcando cinco gols. Já a Ucrânia não tem mais chances de classificação. A equipe até atuou bem diante dos Asiáticos, mas a falta de alguns atletas e o nervosismo atrapalhou num momento de decisão. Resta aos Amarelos encerrar sua participação (diante da Holanda) buscando uma vitória para terminar na 9ª colocação.

Qatar 6 x 4 Itália

No outro embate das 09h, um jogaço que poderia definir o futuro de uma das seleções. Itália e Qatar faziam um dos grandes duelos da rodada. A Azurra queria retomar a primeira posição, enquanto que os Árabes que carimbar sua vaga à próxima fase. Assim, o início de partida foi muito estudado, onde as equipes sabiam que qualquer erro poderia ser fatal. Edno e Danrlei, arqueiros menos vazados da competição não davam brechas aos atletas e passados 10 minutos o resultado ainda estava fechado. Porém, foi neste momento que os gols começaram a sair. Cleverson abriu os trabalhos para os Vinhos, assumindo a vantagem no placar. Isso fez com que os Italianos fossem ao ataque com mais apetite. Não demorou muito e cinco minutos depois, Helio empatou a partida, dando novas emoções ao confronto. Animados, a Itália passou a pressionar seu adversário e aos 20 minutos Leo, num belo tento pôs sua equipe a frente do marcador. O Qatar parecia esgotado, mas ainda tentou algo no final de jogo, mas sem sucesso: fim da primeira etapa e vitória Italiana por 2 a 1.

Veio o segundo tempo e a partida continuou eletrizante. Não demorou a termos mais bola na rede. Aos 4 minutos, Regi the legend empatou novamente o jogo, num belíssimo sem pulo. O tento motivou os Árabes que vieram com folego renovado e três minutos depois veio à virada em outro belíssimo tento. Cleverson deixou seu marcador sem pai nem mãe, tabelou com seu coleguinha e empurrou para o fundo do gol, para delírio de sua equipe e da torcida presente na Cancun. Só que o adversário era a Itália e dois minutos após a virada, Digol igualou novamente o jogo. Faltando 10 minutos, ninguém conseguia dizer quem iria pular a frente no placar, tamanha era o equilíbrio da partida. Os Italianos então mostraram sua força e virara outra vez o marcador com Luan Santana. Só que um minuto depois, Burmann pôs a igualdade no confronto (em outro belo gol por sinal). Faltando exatos três minutos para o fim, Hetchko aproveitou a chance, virando para a seleção do Qatar e botando mais pimenta na quente partida. O minuto final então foi espetacular! Danrlei, arqueiro Italiano resolveu ir ao ataque, só que entregou a bola nos pés de Binho que teve a tranquilidade de fintar seu adversário antes de marcar. Vibração nas arquibancadas, mas ainda havia um jogo rolando e a Azurra foi com tudo. Digol se desentendeu com seu adversário e acabou sendo expulso, não dando tempo para mais nada. Vitória dos Vinhos por 6 a 4. Com o triunfo o Qatar garante classificação à fase mata-mata, na 8ª posição com 17 pontos. Já a Itália caiu para a 4ª colocação com 24 tentos.

Opinião: Que jogo em amigos! Outro digno do selo CEA de qualidade. Bem disputado, com lances, chances perdidas, gols, golaços, defesas, cartões expulsões, reclamação… enfim, um duelo a altura. Destaque para os belos gols do confronto, no qual os atletas mostraram qualidade acima de tudo e para a atuação de Cleverson do Qatar, jogador que esbanjou categoria nos dribles, sendo num deles um chapéu com giro em seu marcador. Também tivemos o fato curioso: a disputa entre Regi e Digol. No primeiro tento da Itália, Digol mesmo caído, deu assistência para Hélio e comemorou com um “Boa Regi!” deixando o Carequinha com sangue no olho. O troco veio na virada do Qatar, quando Hetchko recebeu sua assistência e fez o tento. Regi comemorou na cara de Digol que nada pode fazer. Ao final do embate, ambos se abraçaram. Respeito acima de tudo, mas com uma pitadinha de zoação. Viva o futebol!

Holanda 7 x 8 Escócia

O duelo da Tv era entre Holanda e Escócia, seleções já eliminadas e que não tinham muito que fazer em quadra, certo? Que nada. As equipes tinham como ideal a busca pela vitória e a honra em terminar suas partidas com dignidade, e assim o fizeram. Apesar dos muitos desfalques por ambas as equipes, o duelo foi muito disputado e cheio de gols. Logo na saída bola, Nereu fez linda jogada individual, mas na hora de chutar… Caiu. Porém no lance seguinte, gol dos Holandeses, no tento de Moser. Em vantagem, os Escoceses tiveram que sair mais para o jogo, e como de costume abriam espaços para os contra ataques perigosos liderados por Moser. Só que desta vez, a defesa dos Rosas se saíram bem e aos 10 minutos a equipe chegou ao empate com Garret. Assim, a partida seguia em total equilíbrio: chance de um lado, oportunidade de outro, mas nada de vantagem até que… Weslley deu seu ar da graça, marcando dois tentos relâmpagos em segundos, e abrindo vantagem para a Escócia. Só que dois minutos depois, a Laranja Mecânica empatou, com um gol contra de Garret e outro de DJ. Parecia que o duelo terminaria empatado, mas Haryson colocou novamente os Escoceses na frente, decretando o resultado parcial de 4 a 3.

A segunda etapa nem havia começado e… Gol da Escócia Haryson novamente abriu vantagem na partida. Três minutos depois os Holandeses voltaram a diminuir, desta vez com o goleiro Jonathan, só que com mais três minutos Garret, agora a favor, pôs dois tentos de diferença no embate. Você acha que acabou? 11 minutos e Nereu, o interminável voltou a colocar a Holanda no game, mas Garret tirava a vontade Holandesa aos 14 minutos, com outro tento, a favor, deixando a diferença em dois gols. Faltando menos seis minutos para o término, dois gols relâmpagos que poderiam mudar o rumo do embate. Só que os tentos foram um pra cada equipe então, seguimos a matéria. Aos 23 minutos, Wellington diminuiu para os Laranjas, dando o ânimo necessário para a busca do empate. Mas aí, o jogo acabou 8 a 7. Triunfo Escocês depois de 47 rodadas, com direito a choro dos familiares. A vitória ainda mantém a Escócia na penúltima colocação, mas agora com 6 pontos, enquanto que a Holanda segue na 10ª colocação com 8 tentos.

Opinião: A partida em si não valia muita coisa, porém Escócia e Holanda fizeram um baita duelo, cheio de oportunidades e gols. Apesar do início fulminante, os Laranjas sentiram a ausência de Magrão, principal jogador de sua equipe, que estava suspenso e mesmo com Moser em grande fase, a seleção não conseguiu conter o ímpeto adversário, no qual saiu derrotado. Pelo lado Escocês, apesar do apagão rotineiro da equipe, o grupo conseguiu se impor, demonstrando um grande poder de reação e conquistando a vitória após algum tempo. Agora é tentar vencer o último confronto e terminar a competição numa posição mais digna possível.

Eslovênia 7 x 2 Irlanda

O último jogo do sábado reunia duas grandes seleções que almejavam triunfo, além de buscar conhecer as características do adversário, pois ambos estavam classificados. Eslovênia e Irlanda entraram em quadra de olho nos principais atletas a marcar: de um lado Allison, artilheiro da CEA, gordinho ousado e do outro, Vinicius, o Vini, Sr. Mc Donalds. Assim, o início de duelo teve o protagonismo de quem se esperava. Logo aos 3 minutos, Vinicius, craque Irlandês abriu a contagem, fazendo o primeiro tento da partida. Marcado, Allison não conseguia transformar suas chances em gol, porém bastou um pequeno descuido para o artilheiro do campeonato deixar sua marca e empatar o marcador aos 11 minutos. Foi então que ambas as seleções fizeram marcação pesada nas estrelas da partida, deixando os coadjuvantes, aqueles atletas que a ‘natureza cuida’ entrarem em ação. Aos 17 minutos, Pica-Pau virou para os Azuis, só que antes do intervalo os Verdes empataram com Rafael, decretando a igualdade no placar em 2 a 2.

Na segunda etapa, apenas uma equipe foi a campo. A Irlanda parou no tempo, e apenas assistiu os Eslovenos marcarem gols. Logo aos 4 minutos, Allishow cravou mais um. Cinco minutos depois, dois tentos relâmpagos da Eslovênia, praticamente definiram o duelo, que a esta altura já estava em 5 a 2. Tá certo que ainda havia 15 minutos a serem jogados, porém as equipes se preocupavam mais em discutir do que jogar bola. Isto demonstra o fato do duelo ter sido o com maior número de cartões: oito no total, sendo 7 amarelos e 1 vermelho, mostrado para o atleta Felipe, da Irlanda na no fim partida. Antes, os Eslovenos ainda marcaram mais dois gols, ampliando em grande quantidade a vantagem e decretando a vitória e, 7 a 2. Com mais três pontos, a Eslovênia segue na vice-liderança, com 27 pontos. Já a Irlanda é 7ª colocada com 18 tentos.

Opinião: Se o jogo fosse comentado apenas pelo primeiro tempo, iria dizer que a partida entre Eslovênia e Irlanda havia sido um jogão. Porém a partida teve dois tempos, no qual a etapa complementar foi amplamente dominada pelos Eslovenos. Os Irlandeses novamente sofreram um apagão geral, o que culminou na goleada sofrida. Terão que repensar numa postura defensiva na próxima rodada, senão, na próxima fase irá passar vergonha. Já a Eslovênia, o jogo serviu para mostrar que a equipe virá forte para a fase de mata-mata. Resta saber que será seu adversário. Podemos ter um repeteco, por que não?

Espetos Neozelandês e muita resenha: o decreto estava liberado

No sábado o decreto é ativar o modo Fábio Assunção: comer e beber todas! Era neste slogan que o elenco da Nova Zelândia preparou um de seus pratos típicos da região, os famosos Espetinhos NZ. Os saborosos espetos servidos ao público vinham de comidas bem conhecidas da Oceania, como os Mexilhões, Bolinho de Peixe, Abalone, Lagostino, além dos já mais comuns, como carne, frango e linguiça.

Porém o principal e mais temido espeto da região oceânica é o Espetinho Disappeared. Segundo as historias, quem come deste espetinho desaparece do mapa por um dia. Badaz não acreditou e foi conferir esta lenda de perto, comendo tal espetinho. O efeito demorou a funcionar, mas quando fez efeito… o resto vocês já sabem.

Comentários

Comentários