Rodada tem primeiro W.O e mais quatro seleções classificadas

A 10ª rodada da Copa Entre Amigos – CEA 2018 garantiu mais quatro seleções para a próxima fase: Eslovênia, Hong Kong, Nova Zelândia e País de Gales garantiram matematicamente seu passaporte para as fases finais. Destaque para a grande vitória dos Neozelandeses diante dos Galeses por 15 a 6.

Também tivemos o retorno de Vinicius, que ajudou a Irlanda a reencontrar o caminho das vitorias. Não podemos deixar de destacar o atleta Albano, que chegou a incrível marca de 200 gols em competições no CEA. A baixa foi para o primeiro W.O. do torneio, no duelo entre Itália x Estados Unidos, no qual a seleção Americana não compareceu em quadra.

Vamos à matéria.

Eslovênia 8 x 5 Ucrânia

No primeiro embate do dia, Eslovênia e Ucrânia duelaram na quadra 2 da Cancun buscando o mesmo objetivo, mas em posições muito distintas. Sem reservas, os Ucranianos foram com seu elenco novamente enxuto, mas tinha também o retorno do seu craque Pigor. Já os Eslovenos estavam com força quase máxima, pois Carlos Valdir cumpria suspensão. Por conta disso, não demorou a entender qual seria a tônica da partida, tanto que em 5 minutos, os Azuis já venciam por 2 a 0, sendo o mais surpreendente a falta de gols de Allison. Entretanto, os Amarelos não estavam mortos e diminuíram o marcador um minuto depois com Edu. Só que na sequencia tomaram mais um (Awane, o japonês voador), abrindo vantagem em 3 a 1 para a Eslovênia. Entretanto, a Ucrânia não atuava mal, tanto que criava as principais chances do duelo, mas parava das estupendas defesas de Alex Barthez, que o diga Tomate. Quem aproveitou bem isto foram os Eslovenos, que com mais um tento, decretaram o fim da primeira etapa em 4 a 1.

Veio o segundo tempo e com ele o retorno do atleta Piu, após anos de suspensão, no qual trouxe mais mobilidade à seleção Ucraniana. Não demorou muito para a equipe diminuir o placar, num tento meio bizarro marcado pelo… Goleiro Esloveno! Assim, os Ucranianos foram pra cima, mas esqueceram de que do outro lado havia Alishow marcou seu tento, dando um balde de água fria na Ucrânia. Mesmo assim, os Amarelos não desistiram, no qual tentavam, atacavam, mas a bola teimava em não entrar. Já os Azuis, nas duas boas oportunidades, gol de Allison e Danilo e 7 a 2 no marcador. Era para desanimar qualquer um né! Não os Ucranianos que, faltando menos de 10 minutos, buscaram diminuir a desvantagem. Resultado do esforço: três tentos num intervalos de cinco minutos, que fizeram sua seleção entrar novamente na partida. Nos minutos finais, a pressão foi grande, porém o que fez valer foi às peças Eslovenas, onde nos acréscimos a seleção marcou mais um com Danilo, encerrando o jogo em 8 a 5. Vitoria mantém a Eslovênia na 3ª posição, com 21 pontos, enquanto que a Ucrânia segue em 9º lugar, com 9 tentos.

Opinião: Um grande duelo marcou este inicio de jornada, com vitória Eslovena. A seleção Azul mostra-se capaz de superar algumas adversidades, como pressão adversaria e pouca inspiração de Allison, depositando suas fichas nos talentos de Awane, Joãozinho e Danilo, mas principalmente de seu arqueiro Alex, que garante uma segurança absurda. Pelo lado Ucraniano, um jogo digno de quem irá buscar a classificação para a próxima fase até o fim, mesmo com todas as adversidades. Seleção bem postada, mas que pecou muito nas finalizações e na falta de sorte também, porem é uma equipe que tem tudo para brigar pelas ultimas vagas.

Qatar 3 x 7 Hong Kong

Também no jogo das 08h, Qatar recebia Hong Kong em mais um duelo ‘bom de assistir’. Não por acaso a primeira etapa foi bem disputada, onde que vacilava, tomava tento. Aos 4 minutos, o nº 8 Asiático, vulgo Albano abriu a contagem no marcador. Porem, cinco minutos depois, Hetchko, o nº 8 Árabe empatou o duelo. Mas o time do Qatar quase nem conseguiu comemorar, pois no lance seguinte, Albano marcou seu segundo tento na partida e… Seu gol de nº 200 em competições na CEA! Palmas a este monstro porque ele merece! Mas, ainda havia um duelo a ser disputado, e mesmo após as felicitações, o Qatar queria agracia-lo com um presente de Árabe, indo pra cima e empatando o marcador novamente com Hetchko. Assim, os últimos cinco minutos foram de grande equilíbrio, tanto em ataque, como defesa, porém o confronto ficou em 2 a 2 ao final da primeira etapa.

Na segunda etapa, os atletas de Hong Kong devem ter chegado para o Albano e terem dito “parabéns pelos 200 gols. Que tal ser o men of the match?” Nisso, uma luz pairou sobre ele, Albano respirou fundo e falou “pessoal, deixem com o pai”. Partida disputada, tira dali, chute daqui e, gol de Albano. Mais dois minutos se passaram a seleção Árabe em cima, Regi tenta, Robson salva e… Gol de Albano. Outros dois minutos se passaram, Qatar no gogó de Hong Kong, bate rebate, bola não entra, e gol de Cozzolino. Tá bem que desta vez não foi do ‘cara’, mas ele participou mentalmente da jogada. Assim, o duelo ficou em 5 a 2 para os Asiáticos, que tiveram a oportunidade do deixar seu craque no banco para autógrafos e entrevistas. Entretanto, a seleção Vinho não queria sair derrotada, conseguindo diminuir o placar faltando mais de 10 minutos para o fim.  O Qatar teve sim chances de entrar novamente no embate, porem a sorte não estava do seu lado. Percebendo tal ameaça, Albano entrou para por um fim nesta angustia, marcando mais um tento, e dando passe para outro, no famoso ‘faz e me abraça’, decretando assim a vitória Asiática por 7 a 3. Com o triunfo, Hong Kong já figura na 4ª posição, 19 pontos, deixando o Qatar na 8º colocação com 11 tentos.

Opinião: Num duelo onde uma seleção possui um atleta que atinge a marca de 200 gols no CEA, e que ainda está ‘On Fire’, é muito difícil você não conquistar o triunfo. Foi assim que ocorreu com Hong Kong, no qual demonstra uma evolução a cada partida, e seria candidata ao titulo da competição. O Qatar ainda está no G8, entretanto terá adversário acima na tabela, além do confronto direto frente à Ucrânia. Terá força para superar estes embates?

Itália  3 x 0 Estados Unidos (W.O)

No embate das 09h, Itália e Estados Unidos era para ter sidos aqueles jogos interessantes, pois viriam à quadra o líder contra o lanterna da competição. Mas, apenas a Azurra esteve presente, pois os jogadores Americanos não vieram realizar o embate. Segundo informações, as maiorias dos atletas não poderiam participar deste embate, por varias questões, no qual entraram num comum acordo entre a equipe optando por não jogar a partida. Bom para os Italianos, que somaram mais três pontinhos, mantendo a liderança do campeonato, mas ao mesmo tempo ruim, pois ninguém quer sair de casa para não ter jogo. Já os Americanos, que haviam somado apenas um ponto, estão com -2.

Opinião: Como não teve a partida, não há o que comentar.

Nova Zelândia 15 x 6 País de Gales

Previsto para a quadra 2, mas transferido na quadra 1, devido ao W.O, Nova Zelândia e País de Gales era considerado o grande jogo desta manhã, pela proximidade na tabela e pelo bom futebol apresentado até aqui. Porem quem apresentou seu futebol foi os Neozelandeses, que com 4 minutos, já venciam o duelo por 3 a 0. Os Galeses não tiveram escolha a não ser pedir tempo. O pedido foi providencial, pois na volta à quadra, os Cinzas se concentraram, e diminuíram o marcador com Inho. Quatro minutos depois, Wellington pôs a diferença em apenas um gol, colocando fogo no duelo, onde só não ocorreu o empate graças às boas defesas do arqueiro De Lara, atleta revelação que voltava ao CEA para suprir a ausência de Guido machucado. E quem não faz, toma. Que o diga Tevez que marcou mais dois tentos, deixando a vantagem novamente em três gols. Os Galeses até tentaram nova reação, mas enquanto fizeram um, a NZ marcou mais dois, encerrando o primeiro tempo em 7 a 3.

Na segunda etapa, o País de Gales queria vir com outra postura em quadra, porém o espírito da equipe foi abalado com dois minutos, num tento contra. Inho ainda tinha esperanças, marcando logo na sequencia, só que com mais dois gols, da dupla Salgado + Tevez o duelo praticamente foi definido, com cinco minutos. Isto porque os Galeses optaram por jogar de goleiro linha, manobra arriscada e muito pouco efetiva. Prato cheio para Tevez se esbaldar de empurrar bolas na rede. Ao todo, o craque Neozelandês fez 9 gols na partida, no qual só não fez mais porque não quis. Já sem forças, os Cinzas ainda marcaram mais dois tentos, mas nada de apague a fraca atuação. Resultado disso tudo: 15 a 6. A vitória põe a Nova Zelândia na 5ª posição, com 18 pontos, colocação herdada pelo País de Gales, que agora é o 6º, com o mesmo número de tentos.

Opinião: Pelas posições que se encontram Nova Zelândia e País de Gales na tabela, a torcida presente na Cancun ficou com a sensação que apenas uma equipe atuou, tamanha foi à facilidade da NZ. Com um bom futebol, os Neozelandeses não tomaram conhecimento do seu adversário, mesmo após a diferença cair para apenas um tento. Destaque para a dupla Salga/Teves, que comandaram sua seleção. Já na equipe Gales, uma partida para ser esquecida. Pane no inicio de jogo, falhas individuais, goleiro linha… Enfim, quase tudo deu errado, pois se teve algo de positivo foi à boa atuação de Inho, que com seus dribles que mais parecem passos de dança “dois pra lá, dois pra cá” marcou quatro tentos, e quando não fez, deu assistências.

Paraguai 2 x 11 Irlanda

No embate da TV, Paraguai e Irlanda pareciam àquelas peladas de fim de ano, aonde pouca gente vem. Nos Paraguaios, apenas quatro na linha, mais o arqueiro Feitosa que chegou atrasado. Nos Irlandês, Japa teve que atuar de goleiro por um dia, já que a seleção também tinha desfalques. Porem os Verdes não estavam nem aí, pois Vini voltou e era isso que importava. Mas… Os cinco primeiros minutos foram de um sono. Pouca produtividade das seleções, alguns bons lances e só. O craque Vini já estava sendo apelidado de Sr. Mcdonalds, tamanha era a preguiça. Para piorar a vida Irlandesa, Caíque aproveitou a falha da defesa e abriu a contagem para os Paraguaios. Foi aí que a Irlanda resolveu acordar, criando chances e empatando aos 10 minutos com Samuca. Assim o duelo melhorou o padrão, no qual ambas as equipes criavam oportunidades antes, não vistas. Os Verdes só conquistaram a virada no minuto 18, com Baiak. A partir deste momento, o time deslanchou, marcando mais três tentos, sendo dois de Vinicius e decretando o resultado em 5 a 1.

Com o retorno de Cris na segunda etapa, a Irlanda retornou ainda mais ofensiva, no qual aproveitava o nítido cansaço Paraguaio, que vale ressaltar não tinha reservas, para ampliar o marcador. Não demorou muito e com 12 minutos, o confronto já estava 10 a 1. Faltando pouco menos da metade de duelo, o jogo foi levado ao modo banho Maria, onde o publico aproveitou para botar o papo em dia, tomar aquele banho, assistir a disputa do 3º lugar da Copa do Mundo, essas coisas. Dan ainda fez a torcida vidrar novamente no confronto, após belo gol de fora a área, mas pelo lado do Paraguai foi só. Já os Irlandeses ainda marcaram mais um com Samuca, decretando a vitória por 11 a 2. Triunfo importantíssimo da Irlanda que mantem-se no G8, na 7ª colocação com 15 pontos. Já o Paraguai segue com chances remotas, na 11ª posição, e seis tentos.

Opinião: A ida ao aeroporto com jatinho fretado para o retorno do seu craque fez valer a pena para os Irlandeses, pois a equipe finalmente se reencontrou com as vitorias. É bem verdade que o inicio foi preocupante, mas conforme o desenrolar do duelo, os Irlandeses se impuseram, não dando chances ao adversário. No lado do Paraguai, o fator elenco vem prejudicando e muito a equipe, que até faz boas atuações, mas sem banco de reservas para dar aquele respiro fica muito difícil.

Holanda 4 x 4 Camarões

Para encerrar a rodada, Holanda e Camarões entraram em quadra em situações e momentos distintos. A Laranja Mecânica vinha aos remendos, já que grande parte do seu elenco estava machucado, inclusive o craque Magrão, que retornava de após lesão. Pelo lado Africano, a equipe vinha de uma belíssima vitória, elogiada por muitos, na qual estava com aquela vontade de repetir a dose. Assim, o início de embate foi conforme manda o figurino, tanto que, aos 3 minutos Taborda abriu os trabalhos para Camarões. Porém, o time Holandês começou a gostar da partida e impor seu plano de anular a peça chamada Fernando. O resultado foi surpreendente: DJ aos 7 minutos e Moser aos 10, viraram o marcador, trazendo emoção ao público. Sem entender, a seleção Camaronesa até tentou uma reação, mas foi a Laranja Mecânica quem teve as principais chances de ampliar, levando a vantagem para o intervalo de 2 a 1.

Na segunda etapa, Camarões veio com intuito de mudar o panorama da partida, entretanto o modelo ‘marcação pressão’ da Holanda não dava chances, e ainda criava oportunidades. A seleção Camaronesa parecia ter sentido o baque, pois as jogadas já não fluíam como antes. Melhor para Holanda que marcou mais dois tentos num intervalo de cinco minutos, ambos com Magrão, levando a ‘massa’ ao delírio. Percebendo a fragilidade da seleção, o publico percebeu que só um homem poderia mudar este duelo, no qual mais ou menos 60 mil vozes entoaram seu nome “COXINHA!! COXINHA!!”. O atleta, que estava no banco, observara tal demonstração de carinho, mas que, porém, não foi atendida por sua seleção. Faltando menos de 10 minutos, parecia que nada iria mudar, quando de repente… (não, Coxinha não entrou) a equipe Holandesa começou a sentir o cansaço. Foi nessa ideia que Camarões diminuiu o embate com dois tentos relâmpagos, deixando o embate em apenas um gol. Assim, os cinco minutos finais foram de fortes e intensas emoções, onde cada equipe teve a chance de ouro: Na Holanda, o chute de Magrão acertou o travessão. No de Camarões, Taborda fez, empatou a partida e decretou o resultado em 4 a 4. Resultado mantem as seleções nas mesmas posições, sendo os Africanos em 2º com 22 pontos e os Holandeses na 10ª colocação com 8 tentos.

Opinião: Que baita duelo para fechar mais uma rodada do CEA não? Se tem uma seleção que pode sair da quadra frustrada pelo resultado são os Holandeses. Partida estupenda, com marcação, contra golpes, chances de gol. Uma pena a equipe ter cansado e permitido o empate. Entretanto, a seleção demonstra que pode sim brigar pela vaga restando três rodadas para o fim. Já pelo lado de Camarões, o resultado valeu pela garra mostrada na metade do 2º tempo, porque no restante o time sofreu. Apesar de classificada, a seleção precisava buscar alternativas para a fase de mata mata, senão dificilmente buscará seu objetivo.

Não só de Pierogi vive a Ucrânia, mas de feijoada também

Conhecido mundialmente pelas suas comidas típicas de polacos, principalmente o Pierogi, um pastel cozido, a seleção Ucraniana resolveu ousar, no qual apresentou aos convidados presentes no Bar Kanavial mais uma iguaria da região. A Feijuca Ucraniana. O prato reúne o que há de mais suculento em carnes, como a famosa Cracovia, os Holodec, além da carne de porco e linguiça.

Em meio à confraternização, os atletas puderam opinar sobre mais uma rodada do CEA, onde ouviram as explicações coerentes de Juca, sobre a ausência da equipe dos Estados Unidos na partida diante da Itália, o que culminou na perda de pontos da seleção Americana.

Comentários

Comentários